SPVS - SOCIEDADE DE PESQUISA EM VIDA SELVAGEM

08/05/09 - SPVS INFORMA
Censo de papagaio ameaçado de extinção será neste fim de semana

27/05/09 - SPVS INFORMA
Estudo no Paraná e Santa Catarina demonstra que são poucas as áreas onde é possível encontrar áreas de Floresta com Araucária

03/09/09 - SPVS INFORMA
Monitoramento da SPVS de ninhos de papagaio-de-cara-roxa recebe apoio

FUNDAÇÃO O BOTICÁRIO DE PROTEÇÃO A NATUREZA

Quebrar Paradigmas - por Malu Nunes – engenheira florestal, mestre em Conservação da Natureza e diretora executiva da Fundação O Boticário de Proteção à Natureza.

Observação de Aves - Salto Morato

Quanto Custa preservar mananciais - Projeto Oásis

Brasil Mantém Liderança Mundial em Reciclagem de Latas de Alumínio

Aprenda mais sobre a importância de reciclar o PET

Classificação do lixo reciclável

Compostagem: transformando seu lixo orgânico em adubo

 

Compostagem: transformando seu lixo orgânico em adubo

Realizada pela ação de microorganismos, a compostagem é um processo de reutilização de materiais orgânicos (folhas, restos de comida, serragem, esterco, etc) por meio de sua decomposição aeróbia (que se dá com a presença do oxigênio do ar). Como resultado deste processo, temos a produção de um adubo orgânico estabilizado e de aparência, odor e textura aceitáveis, podendo ser aplicado ao solo sem que haja contaminação do meio ambiente.
A compostagem não é uma técnica recente. Há muito tempo já se abria valas longe das habitações, colocava-se toda a matéria vegetal, restos de cozinha e todos os tipos de resíduos orgânicos e depois cobria-se com terra. Isto além de evitar o mau cheiro e aspecto desagradável provindo dos resíduos, acabava por melhorar as condições para o desenvolvimento do cultivo nesses locais.

Vantagens ambientais

Ao transformar resíduos orgânicos em composto, você estará adotando uma prática ambientalmente adequada e produzindo um ótimo condicionar de solo, que pode ser usado em vasos, hortas e jardins. Reduzindo a quantidade de lixo destinada ao aterro ou lixão da sua cidade e, portanto, a poluição ambiental. Consumindo menos sacos para lixo, diminuindo os riscos de atrair animais e proliferar vetores (ratos, moscas e baratas) para sua lixeira e, facilitando a coleta municipal. Dando bom exemplo na destinação de parte do seu lixo, e ajudando a convencer outras pessoas a não queimar folhas e restos de poda, poluir o ar, incomodar a vizinhança e prejudicar nossa saúde,

Como fazer uma Composteira

1. Escolha do local
Um local onde faça sombra no inverno e Sol no verão é o mais adequado. É preciso que seja um lugar reservado, delimitado, próximo à um ponto de água, com espaço suficiente para o reviramento da pilha, com terreno de boa drenagem, de modo que a água possa escorrer para um local apropriado. O tamanho pode variar de acordo com a sua necessidade.

2. Preparação do local
Prepare o fundo da composteira remexendo a terra com uma enxada para garantir a presença de oxigênio. Coloque uma camada de galhos e ramos secos antes da primeira camada de resíduos.

3. Fazendo o composto
Forme camadas numa espessura em torno de 20 cm, alternando restos de capina com os restos de cozinha,sucessivamente até formar uma pilha de mais ou menos 1 m. A cada camada montada deve-se irrigar sempre. Isso é fundamental para dar condições ideais para os microrganismos transformarem e decomporem os resíduos orgânico. A primeira e a última camada devem ser de capina;

4. Cuidando do composto.
O composto pode ficar pronto de 30 a 90 dias. É importante que se revolva a pilha de composto uma vez por semana, de maneira uniforme. Mantenha o material de sua composteira sempre úmido, sem excesso de água. Se quiser acelerar o processo de compostagem , evite acrescentar novos materiais.

5.Composto pronto
Um composto pronto apresenta cor marrom escura, cheiro de terra, homogêneo e sem restos vegetais.